Psychosocial
©

Demorei algum tempo para escrever esta carta… O tema parece mais complexo do que os outros, mas não é. Ou talvez seja apenas uma questão de saber quem você é.
Devo dizer que houve um tempo que não sabia quem eu era e qual era o meu propósito na vida, bom, com toda a revira volta que ocorreu na minha vida, hoje, posso dizer que tenho respostas concretas e o resto é só uma questão de tempo. Mas de uma coisa eu tenho certeza, não sou mais aquele garoto ingênuo, medroso e dependente de outras pessoas como quando comecei o desafio, por mais que ainda não posso me declarar totalmente independente, mas posso dizer que evolui, e sim, foi para melhor. E uma coisa que eu aprendi foi que: TUDO É UMA QUESTÃO DE PERSPECTIVA. Sim, isso mesmo. Tudo depende do modo de como você vê as coisas e pensa.
Tudo que já fiz me serviu de experiência, todos os lugares que já passei, todas as pessoas que já conheci e me envolvi. E realmente aprendi que a felicidade vem de você mesmo e de mais ninguém. Aprendi também a não esperar nada de ninguém, porque seres humanos são imprevisíveis e facilmente manipuláveis. E não importa quantos anos se passem, você nunca conhece alguém realmente.
Enfim, vou acabar com isso para não ficar muito extenso… Depois de todos esses anos eu realmente sei quem eu sou e quem pretendo ser, passei anos da minha vida cego, sem saber quem eu realmente era. Agora posso olhar para o espelho satisfeito e quase completo.
Eu sou destino incerto, sou estrada, sou andarilho. Sou gente, ser humano, sou pai e filho. Sou o que eu vejo, o que tu vê. Eu sou pavio, sou a bomba, sou início, sou o meio e o fim. Sou o que foi feito, o que eu faço, sou futuro do que eu fiz. Sou a cidade turbulenta, sou uma praia deserta, eu sou a estrada para o abismo indo na direção certa. Sou agora, sou depois e tudo que já fui antes!

 30 - Carta para o reflexo no espelho

É fácil morrer. A toda hora, em todos os lugares, a morte está se oferecendo. Mais difícil é continuar vivendo. Eu continuo. Não sei se gosto, mas tenho uma curiosidade imensa pelo que vai me acontecer, pelas pessoas que vou conhecer, por tudo que vou dizer e fazer e ainda não sei o que será.

Caio Fernando Abreu.  (via aprendizdepoeta)

Sabe o que você ganha quando mostra a verdade para o mundo? Uma camisa de força ou um soco na cara… às vezes os dois.

Supernatural   (via aprendizdepoeta)

Odeio quando você muda. Dói tanto quando de uma hora para outra você começa a me tratar como se eu não fosse importante na sua vida, é tão incomoda essa sensação de insegurança, como se a qualquer momento eu pudesse te perder. Não quero falar de perda, pois só de me imaginar sem você, sinto um rombo dentro do peito, uma dor imaginária sem precedentes. Não estou preparado para te perder, alias, nunca ninguém está. Já sonhei tanta coisa para nós dois, está cedo demais para tudo acabar assim tão de repente.
Acho que é defeito ser tão detalhista, percebo uma mudança, por mais insignificante que ela seja, e quando alguém muda comigo, sinto como se ela não gostasse mais de mim, parece bobagem, infantilidade, exagero, mas eu sou tudo isso. Os pequenos detalhes me fascinam, mas a falta dele é como água jogada no fogo, acaba o brilho, o calor, a graça de toda a coisa, entende? Sou o tipo de pessoa que notaria a falta de uma estrela no céu, por menor que ela fosse, porque no fundo, ela faz falta, todos os detalhes fazem falta, cada gesto, cada demonstração de afeto. Quando alguém muda, é como se um sinal de alerta apitasse dentro de mim, algo está errado, algo precisa voltar a ser como antes, odeio mudanças, sou acomodado, as situações amenas costumam me deixar mais feliz, apesar de gostar de surpresas, não quero ninguém que amo longe de mim, enfim.
Vamos voltar a falar do que eu estava falando. Odeio quando você não me manda uma mensagem de bom dia, ou uma de boa noite, já estou acostumado em ler uma mensagem sua, saber que você estava pensando em mim, que se importa comigo, você não sabe disso, mas sorrio todas as vezes que você fazia isso. Sinto falta de você todos os dias, a gente anda tão distante, é como se a distancia entre eu e você tivesse aumentado, e cada quilômetro mental que nos separa são como espinhos na carne, me machucam demais. Eu não digo o quanto estou sofrendo, as pessoas não precisam saber, você não precisa saber, não quero estragar mais ainda as coisas com o meu drama, pois eu costumo aumentar tudo.

Cristian. (via oescritor)